quarta-feira, 26 de junho de 2019

Anacheilium vespa - flores 2019

Esta é uma das orquídeas mais interessantes que eu disponho, especialmente por causa do formato do labelo floral, que se apresenta da maneira invertido, o que é uma característica da maioria das orquídeas deste gênero. A quantidade de flores por florada tem aumentado cada vez mais (este ano foram 11 flores em apenas 1 haste floral) e atualmente ela está sendo cultivada num vaso de argila, forrado com argila expandida e substrato composto por casca de pinus, carvão vegetal, chips de coco e sphagnum.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Blc. pastoral 'ave maria' - flor em 2019

Este é um daqueles híbridos de florações agigantadas, isto porque as dimensões de suas flores ultrapassam tranquilamente o tamanho de uma flor de Cattleya labiata tipo, por exemplo. Talvez devido a esse tamanho todo, é mais comum a produção de flores em pequena quantidade por florada. No caso desta minha, o máximo de flores que ela produziu por vez, foram três e nas demais florações apenas uma flor enorme.
Atualmente está sendo cultivada num vaso de plástico, com argila expandida ao fundo e substrato composto por casca de pinus, carvão mineral, chips de coco e um pouco de sphagnum; vez por outra eu faço uma aplicação de adubo tipo bokashi (mais ainda sem uma regularidade pré-estabelecida).
Também ainda há uma dúvida em relação a verdadeira identificação deste híbrido, seria mesmo a Blc. Pastoral 'Ave Maria' ou se seria, na verdade, a Bc. Pastoral 'Innocence'.

Agradeço desde já possíveis colaborações!

terça-feira, 11 de junho de 2019

256 - Orquídea: Neobenthamia gracilis


"Neobenthamia gracilis é conhecida popularmente como ‘orquídea buquê de noiva’. Por se tratar de uma planta totalmente fora dos padrões habituais das orquídeas, este gênero possui apenas uma espécie, a gracilis”.
“É originária das montanhas Nguru e Cordilheira Uluguru, ambas localizadas no leste da Tanzânia, na África. Habita em altitudes entre 500 e 1.800 m, de forma predominantemente terrestre, em solos ricos em material em decomposição, podendo também ser encontrada vegetando de forma epífita, em árvores cobertas de musgo, ou ainda de forma rupícola, acomodada e fixada em rachaduras”.
“O nome deste gênero, Neobenthamia, é uma homenagem ao renomado botânico inglês George Bentham. O prefixo deriva do grego: neos, que significa ‘novo’, por se tratar de uma segunda homenagem a esta pessoa. Já o nome da espécie deriva do latim, gracilis, que significa ‘delgado’, em referência ao longo e fino caule desta espécie”.

Nomes anteriores:

Polystachya holtzeana;
Polystachya neobenthamia.

“É uma planta que forma enormes touceiras, com longos caules que podem chegar perto de 2 m de altura, de onde brotam de forma pendente longas hastes florais de até 80 cm de comprimento, terminadas em um denso ramo de flores”.
“Apesar de ter flores pequenas, esta planta não entra na classificação de micro-orquídea. As flores têm em média 1,5 cm de diâmetro, com cor predominantemente branca e com labelo maculado de amarelo e pintalgado de cor púrpura. Tem um maravilhoso perfume suave, delicado e adocicado”.

Regras básicas para o cultivo:

· Sugiro cultivo em vaso fundo de plástico ou em canteiros adaptados dentro do jardim.
· Para ambos os casos, sugiro utilizar um substrato bem poroso, composto por partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal, pedra brita e areia grossa. Se puder acrescentar um pouco de turfa, fica melhor ainda.
· Esta planta gosta de muita luminosidade. Sugiro cultivo com 30% de sombreamento.
· Suporta temperaturas entre 10 a 35 graus. Para um bom cultivo e indispensável protegê-la das geadas e baixas temperaturas.
· Assim como a Dendrobium nobile, a Neobenthamia gracilis também pode ser reproduzida pelo processo de estaquia. Recomendo.
· Agora, independentemente da forma de cultivo, temos que tomar muito cuidado com esta planta. Seus bulbos são extremamente frágeis e quebradiços. Se plantada no jardim, procure locais protegidos.
“Floresce normalmente entre o inverno e a primavera. Geralmente floresce mais de uma vez por ano, com suas magníficas ‘bolas’ de flores brancas e perfumadas. Cada floração dura em média 20 dias"[i].

Observação endógena: esta foi mais uma daquelas orquídeas que demoraram bastante para emitir a primeira floração, sem bem que foi comprada muito pequena, algo em trono de 12 cm e atualmente já está com mais de 40 cm. De início, também, eu acabei me confundindo na identificação e só recentemente eu tive a certeza que se trava da Neobenthamia, talvez por isso eu tenha cultivado a mesma sempre na condição de epífita, apesar de ser originalmente mais comum encontrá-la na forma terrestre ou rupícola.
Foram produzidas várias hastes florais e logo depois da floração esta orquídea emitiu diversos keikes e novas raízes no decorrer da estrutura.

segunda-feira, 3 de junho de 2019

306 - Orquídea: Dendrobium aphyllum x Dendrobium primulinum

É uma orquídea epífita, de porte médio a grande, chegando a mais de 1 metro de comprimento em determinados cultivos.
A flor tem um tamanho médio de 5 cm, em cachos pendentes e dura em torno de 12 dias.
Quanto às folhas, elas caducam e é geralmente após esta fase que as flores aparecem.
Clima: tropical e média umidade.
Origem: Ásia.
Cultivo: está sendo cultivada num vaso de plástico, com substrato para epífitas e aparenta estar muito bem adaptada, haja vista esta primeira produção de flores.

Observação endógena: como dito anteriormente, esta foi a sua primeira floração, num total de 9 flores.
Como se pode ver nas fotografias, as flores aparecem dispostas no decorrer de todo o pseudobulbo, sem folhas, o que confere uma visão ainda mais incrível. Estas flores têm um aspecto frágil e o labelo é bastante chamativo, com essas pequeninas brácteas (esse franjado comedido e minúsculo).

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores