sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

367 - Orquídea: Coppensia flexuosa

Coppensia flexuosa (Lodd.) Campacci, Bol. CAOB 62: 55 (2006). Orquidófilo Marcos Antonio Campacci.
"É também conhecida como 'dama dançante' por conta de seu labelo que parece insinuar o movimento de uma bailarina. Espécie epífita, que tem por característica marcante a flexibilidade da haste floral: devido aos hábitos trepadores pode enrolar-se a suportes, o que lhe deu o nome de flexuosa" [1].

Sinônimos:

Ampliglossum flexuosum;
Oncidium flexuosum;
Epidendrum lineatum;
Gomesa flexuosa;
Gomesa megaloptera;
Oncidium flexuosum var. radiatum;
Oncidium haematochrysum;
Oncidium haematoxanthum;
Oncidium megalopterum.

"Coppensia é um gênero pertencente à família Orchidaceae, e é formado por aproximadamente 50 espécies".
"O nome deste gênero é uma homenagem ao historiador e ilustrador belga Bernard Coppens".
"Coppensia flexuosa, planta que habita de forma epífita na Mata Atlântica de todo o território brasileiro, além de ser encontrada no noroeste da Argentina, Paraguai e Uruguai. Vegeta em locais quentes e úmidos, tais como áreas pantanosas e alagadiças e em bosques de montanhas baixas (...)".
"Trata-se de uma planta de crescimento simpodial. Possui rizoma longo com raízes velamentosas. Os pseudobulbos são bifoliados, arredondados e bem espaçados, com aproximadamente 5 cm de diâmetro. As folhas são coriáceas e estreitas, podendo chegar a ter 14 cm de comprimento por 2,8 cm de largura".
"A inflorescência é muito chamativa. Da base do pseudobulbo emerge uma longa haste flexível e ramificada que pode chegar a 1 m de comprimento, suportando dezenas de flores em seu terço terminal. Cada floração dura em média 20 dias".
"As flores têm entre 1,5 e 2,5 cm de diâmetro. Sépalas e pétalas de cor amarela e com máculas de cor marrom castanho. O labelo é muito grande em relação ao resto da flor, e nele predomina o mesmo amarelo intenso e atrativo, com máculas de cor avermelhada".

Dica para cultivo:
"Sugiro cultivar a Coppensia flexuosa fixada em troncos ou cascas de árvores, e com muitas raízes expostas. Esta planta precisa de grande aeração nas raízes"[2].

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

322 - Orquídea: Cattleya pão de açúcar

"Registrado por Florália Reunidas em 1992, a Cattleya pão de açúcar é um híbrido resultante do cruzamento entre a Cattleya Kerchoveana (Cattleya schofieldiana x Cattleya schilleriana) e a Cattleya Brabantiae (Cattleya acladiae x Cattleya ioddigesii), que [obviamente] são também cruzamentos".
"A Cattleya pão de açúcar gosta de um clima temperado com temperaturas não muito altas, em média 22º C são aceitáveis com uma boa rega, boa luminosidade e sombreamento de 50% em média".
"Planta epífita, simpodial, bifoliada de pequeno/médio porte, ficando por volta de 40 cm. Com flor muito bonita, tem em média 10 cm, a Cattleya pão de açúcar é muito chamativa  aos olhos, devido ao seu colorido, mesmo não possuindo perfume".
"A duração das flores gira em torno de 15 dias e a época de floração é indeterminada (...)".
"O vaso pode depender muito do local de cultivo, indo o vaso de barro (secagem rápida), ao vaso de plástico (secagem lenta), e o substrato pode variar entre xaxim desfibrado ou em cubos, esfagno, misto de chips de coco com pinus e carvão[1]".

Observação endógena: eu comprei esta bela Cattleya em meados de 2016, era de tamanho pequeno, mas se desenvolveu rapidamente e floriu pela primeira vez em fins do ano passado. Foram apenas 2 belas flores, que certamente enfeitaram o orquidário de uma maneira inédita e plausível. Como se pode ver nas fotos, o labelo é bastante chamativo, mas não se resume a ele, já que as pétalas e sépalas também são bastante atrativas.
__________________________
[1] Disponível em:
http://jsalmazo.blogspot.com.br/2010/12/cattleya-pao-de-acucar.html Acesso dez. 2016.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Epidendrum ballerina 'fireball' - flores 2018.2

Hoje eu trago apenas essas duas fotografias da última florada deste incrível Epidendrum híbrido. Apesar de estar florindo regularmente, eu ainda não "acertei a mão" quanto a melhor forma para o seu cultivo, isto é, ele já esteve plantado na terra e na condição de epífita, mas ainda não engatou um desenvolvimento progressivo, ou seja, aumentar a quantidade e a qualidade de seus pseudobulbos, raízes e a produção de flores.
A última postagem com este Epidendrum foi feita em maio de 2018 (esta florada ora mostrada, ocorreu em novembro/dezembro de 2018).

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Lc. Mary Ellen Carter 'Dixie Humminbird' HCC-AOS - flores 2018

Os híbridos formados a partir de cruzamentos entre as diversas orquídeas dos gêneros Laelia e Cattleya (por isso a sigla Lc.) são sempre plantas muito interessantes, por vezes precoces, compactas e de florações exuberantes, sem contar que a maioria delas é capaz de florir mais de uma vez ao ano, dependendo das condições climáticas e de cultivo. Desta vez foram 3 flores em apenas 1 pseudobulbo.
A última vez que havia postado sobre ela foi há 2 anos, na floração de 2016.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores