terça-feira, 19 de junho de 2018

69 - Orquídea: Cattleya chocolate drop


"Sua origem ocorre do cruzamento entre Cattleya guttata, espécie brasileira, e a Cattleya aurantiaca, que ocorre desde o México até a Nicarágua (o colorido brilhante deste híbrido é herdado da Cattleya aurantiaca cuja cor é dominante quando cruzada). O colorido das suas flores varia de marrom-chocolate ao marrom-avermelhado. O número de flores por haste pode ser maior que dez, de longa duração quando bem cuidada. O tamanho da flor é bem variável, mas tem em geral 6,5 cm de diâmetro. A floração é em qualquer época do ano".
Cultivo: "é de fácil cultivo, aprecia ambiente quente, ou até mesmo temperado. Proteja-a do frio excessivo e da chuva contínua (...). Regue muito no período de crescimento, mas garanta uma boa drenagem, essa planta seca rapidamente. Diminua a rega no inverno. É indispensável uma boa ventilação e deve receber o máximo possível de luz sem queimar as suas folhas[i]”.


Observação endógena: esta é uma Cattleya que foi comprada muito pequenina, algo em torno de 7 cm (senão menor), em 2011. De lá até aqui ela veio se desenvolvendo gradativamente após quase 7 anos ela estava adulta e produziu a primeira floração. Foram 2 bonitas e incríveis flores de um perfume agradável. Foram cerca de 2 meses, desde o rompimento da espata, pelos 3 botões florais, até o desfalecimento das flores (havia de início três botões, mas um deles foi abortado e restaram apenas 2 flores).
Isto é o cultivo de orquídeas: quase 7 anos de espera pela possibilidade de contemplar suas flores (isto é uma dádiva); pior é quando se espera desesperadamente e ela nunca floresce! 
Nestes 7 anos de cultivo desta Cattleya chocolate drop, a mesma foi transplantada para pelo menos 4 vasos (troca de vaso, substrato, manejo, etc.) e atualmente está sendo cultivada num vaso de argila com casca de pinus, sphagnum e argila expandida. Anteriormente apliquei algumas doses de adubo bokashi.
2018.



[i] Disponível em: <http://orquideasevoce.blogspot.com.br/2009/02/cattleya-chocolate-drop.html> Acesso em out. de 2011.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Bromélia: Tillandsia cyanea

A Tillandsia cyanea é originária do Equador. A inflorescência surge de uma forma de espiga achatada com as brácteas cor-de-rosa e as flores em azul violeta, muito ornamental. O epíteto específico do latim cyanea significa azul, referindo-se ao intenso tom violeta-violeta das flores.
Trata-se de uma epífita perene que cresce até 50 cm de altura por 50 cm de largura, possui rosetas sem haste de folhas finas e recurvadas e pontas em forma de remo de 20 brácteas rosas com flores violetas, floresce na primavera e no outono. 
Esta planta é frequentemente cultivada como uma planta de baixa manutenção em regiões temperadas, muitas vezes vendida ao lado de orquídeas ou por si só.
Naturalmente, é uma herbácia rupícola muito resistente a solos secos. Pode ser cultivada em vasos ou jardineiras como planta pendente ou também ser utilizada como forração em pequenos canteiros.
Tillandsia cyanea prefere luz indireta clara ou filtrada por cortinas. Plante-a numa mistura de duas partes de composto orgânico, uma de terra comum e uma de areia grossa.
Portanto, não aprecia sol direto e deve ser cultivada em espaço protegido, com substrato úmido.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Cattleya nobilior var. tipo - flores 2018

Foto de celular -  Cattleya nobilior.
A variedade tipo de Cattleya nobilior é uma planta de crescimento rápido, formando touceira e "caminhando" simpodicamente por todo o vaso (tornando-o pequeno e impróprio quase que anualmente), de modo que é preciso fazer trocas  de vaso mesmo quando o substrato ainda é útil (obs. atualmente cultivo a mesma num vaso de argila).
Quanto as flores, elas são assim como se pode conferir na postagem: bonitas, razoavelmente grandes, perfumadas e com um labelo excepcional. Nesta florada de 2018 ela bateu o recorde de flores, sendo 5 botões num único pseudobulbo.
Foto de Câmera-  Cattleya nobilior.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Rodriguezia bracteata - flores 2018

Aqui está, não há muito o que se falar deste gênero, desta espécie, até porque suas florações dizem muito sobre ela. Grosso modo, Rodriguezias não gostam de vasos com substrato, mas vão muito bem em cachepots com uma quantidade mínima de substrato ou totalmente vazios, e se desenvolvem de maneira excelente em placas e árvores (observadas as devidas condições de adubação e regras, por exemplo).
Este ano ela floresceu em grande estilo; esta espécie "bracteata" tem uma particularidade nas suas flores, veja o link.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Cattleya forbesii - flor 2018

Cattleya forbesii é uma cattleya de rara beleza, cuja planta possui um porte menor do que a Cattleya labiata, por exemplo. Pode florescer em conjunto, mas esta minha teima em produzir de uma em uma flor, o que a torna ainda mais envolvente! As pétalas e sépalas brilham e o labelo se estende com um interior radiante em amarelo, destacando-se em conjunto (não é apenas um labelo que se destaca, mas essencialmente toda a flor).

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Sarcoglottis acaulis (SM.) Schltr - flores 2017

Este é um Sarcoglottis muito bonito, desde as folhas que são salpicadas de branco até as flores, genuinamente albas com alguns detalhes esverdeados. Ela consegue emitir hastes florais mesmo quando possui, ainda, as folhas, de modo que mantém-se - desta forma - mais elegante.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

315 - Orquídea: Epidendrum ballerina 'fireball'

Este é um epidendrum de flores bem maiores do que aquelas encontradas em espécies como Epidendrum fulgens, Epidendrum radicans etc. Além do mais, essas flores são de um vermelho incrivelmente elegante e intenso, como se pode comprovar nas fotografias.
Série: ballerina;
Nome comercial: 'fireball'.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores

Amigos no G+