quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Alatiglossum barbatum - flores 2018

Mais uma bela floração desta orquídea epífita, bastante comum em nossa região... Antes chamada de Oncidium cilliatum/Oncidium barbatum, tive que sair mudando todas as postagens anteriores para a nomenclatura de Alatiglossum barbatum, o que parece ser o nome mais aceito atualmente. Um pequeno grupo de estudiosos brasileiros vem reconstruindo e renomeando diversos grupos de orquídeas, as quais foram nomeadas indiscriminadamente por estudiosos estrangeiros, sem se atentarem para especificidades muito peculiares e próprias das nossas orquídeas brasileiras.
Eu tenho diversas plantas deste gênero e espécie, mas mesmo assim as florações trazem características distintas, nada radical, mas superficialmente diferentes.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Ludisia discolor - flores 2018

Ludisia discolor é aquela orquídea que, "além de ser uma orquídea" é  uma planta extremamente ornamental, por isso merece toda a nossa atenção... Isto porque suas folhas tem uma beleza peculiar, muitas vezes chamando a atenção muito mais do que suas pequenas e brancas flores. Não vale a pena tê-la apenas num pequeno/médio vaso, é mais interessante tê-la num canteiro, numa jardineira (é o caso aqui), enfim, num local que ela possa crescer bastante e criar um cenário de beleza incrível, estando florida ou não. Como se pode ver nas fotos, esta floriu em mais de 10 hastes, o que proporcionou um clima de primavera fantástico!

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Phalaenopsis: orquídeas floridas em 2018

Hoje trago para vocês (amigos(as) e leitores(as)) do Orquídeas-Bromélias, as principais orquídeas do gênero Phalaenopsis que floriram - no meu orquidário - neste ano de 2018. São três que já haviam sido mostradas aqui no site, sendo elas: Phalaenospsis listrado x pintado, Phalaenopsis exótico x dálmata e Phalaenopsis rosa com pintas. E outras duas que são novidades: a Phalaenopsis branco com pintas e uma outra de coloração avermelhada, ainda não identificada (porém, sendo uma mini phalaenopsis); quem puder me ajudar na identificação desta última, eu agradeço desde já!
Obs. as fotografias abaixo seguem a ordem de apresentação do texto anterior.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

347 - Orquídea: Psygmorchis pusilla

"Psygmorchis pusilla é amplamente distribuído no Brasil, ocorrendo em todas as regiões do país. A espécie não é endêmica do Brasil, mas ocorre em diversos estados brasileiros, quais sejam: RR, AP, PA, AM, AC, RO, MA, CE, PE, BA, AL, MT, GO, MG e RJ. Planta herbácea, epífita, ocorrendo em florestas ombrófilas densas e florestas ombrófilas mistas, associadas aos domínios fitogeográficos da Mata Atlântica e Amazônia. A espécie consta como vulnerável, em avaliação de risco de extinção na flora do Estado do Paraná" [1].

Sinônimos:
Psygmorchis allemanii; Oncidium pusillum; Cymbidium pusillum; Epidendrum pusillum; Epidendrum ventilabrum; Erycina alemanii; Oncidium alemanii; Oncidium iridifolium; Tolumnia pusilla.

"Esta pequenina planta, com sua curiosa disposição de folhas em forma de leque - e interessantes flores, apesar de diminutas dimensões - ocorre com certa frequência nas matas alagoanas, vicejando sobre galhos finos e cipós em ambientes úmidos, com certa altitude (...). Seu sistema radicular deve dispor de relativa umidade constante - sendo o ideal, os musgos existirem na mesma área que a planta for instalada (...)" [2].

Observação endógena: esta é uma orquídea de pequeno porte, porém, produz flores de tamanho bastante considerável, se relacionadas com o tamanho (estrutura da planta). Eu adquiri esta orquídea através de uma troca com uma orquidófila da cidade de Pilar/AL. Logo que se adaptou as novas condições iniciou esta floração em 3 belas flores. Dada a diversidade de nomes (gêneros) pelos quais é chamada, acaba sendo mais conhecida como Oncidium pusilla.


______________
[1] Disponível: http://www.cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Erycina%20pusilla Acesso abr. 2018.
[2] PEREIRA, Luis de Araújo. Álbum das Orquídeas de Alagoas. Maceió: IMA-AL/PETROBRÁS/TRIKEM/GRUPO JOÃO LYRA, 2000. 

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Epicattleya Rene Marques 'Flame Thrower' - flores 2018

Esta é uma orquídea de rara beleza (pelo menos eu acho)...isto porque além de ser uma planta bastante resistente, floresce sucessivas flores por temporada e apresenta este incrível labelo de cor bastante atrativa. Os pseudobulbos são finos e trazem folhas nas laterais.
Trata-se de uma orquídea híbrida (como dito anteriormente), originada do cruzamento entre a espécie Epidendrum pseudepidendrum e o híbrido Cattleya claesiana (por sua vez advinda do cruzamento entre Cattleya intermedia x Cattleya loddigesii). 
Quando adultas e se estiverem sendo bem cultivadas, podem chegar até a 50 cm de altura e desenvolver hastes florais com multiflores belas, chamativas e pendentes.
O termo 'Flame Thrower' pode ser traduzido para o português como 'Lança-chamas' ou 'Lançador de chamas'. Então seria uma Epicattleya Rene Marques 'Lança-chamas'.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Bromélia: Tillandsia houston

"Tillandsia houston é uma das mais populares Tillandsias, porque tem uma [estrutura floral] espetacularmente colorida e também cresce muito mais do que seus pais, a Tillandsia stricta e a Tillandsia recurvifolia [1]".
"(...) é, portanto, mais uma bela bromélia híbrida, tendo as melhores características de ambos os pais: crescimento relativamente rápido; é frondosa; e lindamente prateada. Ela é muito parecida com a sua mãe, Tillandsia stricta, na medida em que é incrivelmente frondosa e cresce em forma de roseta, enquanto o pai Tillandsia recurvifolia explica sua aparência de prata gelada (...) [2]".

Observação endógena: esta bromélia Tillandsia houston  foi comprada recentemente (não me lembro quando nem em que local); o fato é que já se trata da sua segunda floração (nos dois últimos anos sequenciais). Claro que ainda pode haver dúvida em relação a sua correta identificação, por isso, quem tiver outras sugestões e contribuições, por favor deixar nos comentários. Desde já eu agradeço!

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Catasetum uncatum - flores 2018

A última vez que eu havia publicado sobre a floração deste Catasetum uncatum foi em 2016. E naquela ocasião, por conta das condições climáticas, ela floriu mais flores femininas do que masculinas (estas mostradas nesta postagem). O mais importante é que (independentemente do gênero de suas flores) elas são abundantes e perfeitamente cheirosas, o que atrai diversos tipos de insetos, principalmente algumas espécies de abelhas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores

Amigos no G+