ORQUÍDEAS * BROMÉLIAS

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Solenidium lunatum - flores 2021

Este ano o Solenidium lunatum voltou a florir em grande estilo.

Apesar de apreciar bem o cultivo em placas ou árvores, está atualmente sendo cultivado em vaso de plástico com substrato para epífitas. Neste caso deve-se atentar para a possibilidade de se obter uma boa drenagem do substrato para evitar o apodrecimento das raízes.

Em não tendo havido atualizações consideráveis na literatura específica sobre esse gênero, é sabido que existem apenas 3 espécies incluídas: solenidium portillae, solenidium racemosum, além do lunatum.

No detalhe em branco (no substrato) vemos um tipo de fungo que estava comprometendo o substrato e as raízes, por isso tive que realizar o replantio imediato (troca de substrato e vaso) logo após a floração.

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

261 - Orquídea: Cattleya híbrida (híbrido complexo)


Esta é uma bela orquídea que me foi presenteada por um orquidófilo de Arapiraca/AL em janeiro de 2015, no entanto, ela não veio identificada, o que dificultou até um pouco a sua forma de cultivo. Ainda assim, foi aos poucos se tornando uma touceira, vindo a florescer pela primeira vez em 2018.
A sua segunda floração ocorreu neste ano de 2021.
Como se pode ver nas fotografias, produz flores muito vigorosas, de cor alaranjado forte, com labelo avermelhado, em formato que lembra uma âncora. As flores são de médias a grandes e duram bastante.
Obs. se alguém souber a sua real identificação, favor deixar a contribuição no espaço para comentários, logo abaixo da postagem (e muito obrigado).

Então eu vou mostrar aqui fotos das suas duas florações:

2018

2021

quinta-feira, 15 de julho de 2021

280 - Orquídea: Bulbophyllum carunculatum

"Bulbophyllum é o gênero de orquídeas com a maioria das espécies constantes (cerca de 2 mil) e ainda hoje são encontradas e descritas novas plantas (...). A maior diversidade de espécies é encontrada na floresta de Papua Nova Guiné, no Sudeste da Ásia, com mais de 600 espécies diferentes encontradas nesta área. Eles também são nativos das regiões tropicais da Austrália, África, América Central e América do Sul. Em Bornéu encontraram mais de 200 espécies e 135 espécies em Madagascar. Com uma tal variedade de plantas e ambientes, você não pode generalizar o seu cultivo. Há espécies epífitas e rupícolas, crescendo em florestas densas, subindo em relação a outras plantas ou penhascos rochosos, lugares com  umidade elevada e também seca".

"Bulbophyllum carunculatum Garay, Hamer, e Siegerist 1994 é uma orquídea epífita encontrada apenas em Sulawesi (Celebes Island) em torno de 1.000 metros (...). Geralmente florescem no verão em um ponto da flor de até meio metro que pode transportar uma dúzia de grandes flores com cores vivas (pétalas amarelas e sépalas limão ou laranja-vermelho e lábio roxo) e cheiro característico desagradável, que se abrem em sucessão por vezes, durante vários meses. Para instalá-lo, escolher local com luz filtrada ou sombreada e boa ventilação, com temperaturas intermediárias puxando para lugares quentes. Mantenha úmido durante todo o ano, um pouco menos no inverno e se você cultivá-lo em suportes de madeira ou cortiça, regar sem medo de água durante todo o verão, até mesmo algumas vezes por dia, se estiver quente, musgo úmido para manter as raízes úmidas. A umidade deve estar acima de 50%, ou até maior se tem uma boa ventilação (...).[i]

Observação endógena: foi adquirida, ainda pequena, em janeiro de 2016. A primeira floração ocorreu apenas a partir de março de 2021, ou seja, pouco mais de 5 anos depois (uma longa espera, é verdade), mas é assim que se cultiva orquídeas (tendo paciência e persistência)!
Atualmente está sendo cultivada em vaso de argila, com substrato casca de pinus, carvão e um pouco de sphagnum.
Houve uma sucessão de flores, mas não se pode ver algumas delas em simultâneo e por fim gerou duas cápsulas de sementes.
Detalhe de uma das cápsulas de sementes (foram produzidas duas).


segunda-feira, 5 de julho de 2021

Anacheilium aemulae - flores 2021

Hoje trazendo mais uma bela floração desta Anacheilium aemulae. Ainda bem que nos últimos anos ela vem se reestruturando e produzindo flores mais bonitas e abundantes, semelhante ao que ocorria anteriormente, antes de ela ter sofrido bastante n'alguns verões anteriores, bem como por conta de algum descuido no procedimento de cultivo.
Pessoal, tenho visto outras nomenclaturas quando se refere a esta orquídea, no entanto, acredito que esta seja a identificação aceita mais recentemente, e por isso a mais apropriada.
Quem tiver outras indicações, favor deixar nos comentários!
Grande abraço!

segunda-feira, 21 de junho de 2021

386 - Orquídea: Epidendrum ibaguense 'red'

“Nativa da Guiana Francesa, Venezuela, Colômbia e Norte do Brasil, perene, de até 1 m de altura e muito ornamental. É uma espécie de orquídea terrestre, sem pseudobulbos”.

“Haste de nervura simétrica que apresenta um hábito pseudomonopodial: cresce continuamente na ponta do caule”. “Inflorescência terminal, ereta, com cerca de 30 cm de comprimento, de racimo simples ou pouco ramificado com um aglomerado apical de flores que se abrem em sucessão. As flores são pequenas, medindo 2,5 a 4 cm de diâmetro, duram 15 dias e possuem grande diversidade de cores (branco, laranja, róseo, vermelho). As sépalas são cobertas com cera, o lábio é amarelo e as bordas possuem franja. Surgem quase o ano todo”.

É encontrada em vários estados brasileiros, em serras com afloramentos rochosos, de altitude variando entre 200 e 1000 m”.

Propagação:

“Multiplica-se por sementes, por divisão da planta e por mudas nas hastes florais, especialmente depois que as flores caem. Após essas mudas estarem com raízes, basta retirá-las e plantá-las em novos vasos ou na terra[i]”.

Observação endógena: esta é mais uma orquídea que foi adquirida por meio de uma excelente permuta! Apesar de ser originalmente uma orquídea terrestre, está sendo cultivada de maneira epífita, em vaso de plástico. Já emitiu novas estruturas, floriu bastante e produziu diversos keikes. As flores formam esse lindo buquê, uma espécie de "bola de fogo", são duradouras e vão se abrindo à medida que a haste também vai se erguendo. O keikes produzidos já surgem bastante vigorosos e emitem raízes fortes muito facilmente.
Espero que gostem!

terça-feira, 8 de junho de 2021

398 - Orquídea: Trigonidium obtusum


“Trigonidium obtusum tem cerca de 15 cm de altura e produz hastes florais curtas. Os pseudobulbos são comprimidos e oblongos, com duas folhas lanceoladas. As hastes florais brotam do rizoma e na terminação produzem apenas uma flor. A flor é amarelada a rosada, com veias roxas e manchas azuis e tem aproximadamente 1 cm. A produção das flores pode durar até dez dias e após abrirem duram de quatro a dez dias; durante as horas mais quentes do dia liberam uma fragrância doce semelhante à do limão[i].
Origem: Brasil, México e Peru;

Clima: quente e úmido;

Vegetação: epífita de ambientes florestados;

Floração: primavera.


Observação endógena: olá pessoal, cá estou eu com mais uma postagem de floração inédita aqui no orquidário! Esta é simplesmente minha segunda planta do gênero Trigonidium (uma delas, a Trigonidium acuminatum é daqui mesmo da minha região), já esta foi adquirida de fora, comprada de um orquidário online. Está se desenvolvendo muito bem na condição de epífita, plantada num vaso de plástico com substrato casca de pinus, carvão e esfagno. 

O bom sinal do seu desenvolvimento foi justamente a produção de flores no início deste ano, sendo duas ao todo e eu fiz o registro de uma delas, conforme foto acima.

______________________

[i] Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Trigonidium_obtusum Acesso em set. 2020

terça-feira, 4 de maio de 2021

Cattleya intermedia flamea x Cattleya amethystoglossa - flores 2021

Agora trago mais uma floração incrível, de rara beleza, da Cattleya intermedia flamea x Cattleya amethystoglossa, ou simplesmente como é comumente chamada de Cattleya interglossa. Esta é uma orquídea bem precoce na floração, de fácil adaptabilidade e resistente a algumas pragas mais comuns (como cochonilhas, por exemplo). Não que ela não possa ser atacada pelas cochonilhas, mas percebi que há certo controle, elas não tomam a planta por completo, como acontece com algumas espécies de orquídeas.

Amigos e Seguidores