segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Cattleya loddigesii tipo - flores 2020

Olá pessoal! Mais uma bela e abundante florada desta Cattleya loddigesii tipo, ocorrida no final do ano passado. Desta vez foram 5 bonitas flores; pena que - provavelmente um inseto - prejudicou algumas partes das flores, mas acho que não desqualificou a beleza delas.

Está sendo cultivada em vaso de plástico, com substrato para epífitas; neste período de verão a rega está ocorrendo sempre em dias alternados; sem uso de adubação por enquanto.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

79 - Blc. Waikiki gold 'Lea' - 10 floradas consecutivas

Olá car@s amigos e amigas que acompanham o blog Orquídeas & Bromélias! Neste dia tão especial, no qual comemoramos o Nascimento de Jesus Cristo, o nosso Salvador, gostaria de trazer uma postagem sobre a 10ª florada desta cattleya híbrida, Blc. waikiki gold 'lea', mas também e especialmente desejar a todos vocês um excelente Dia de Natal, cheio de bençãos, paz e solidariedade; e por que não repleto de cores, aromas e sabores, alguns desses prazeres proporcionados pelas magníficas orquídeas?!
Pois bem, como dito antes, se trata de um híbrido obtido a partir do cruzamento de três diferentes gêneros: brassavola, laelia e cattleya. É de fácil cultivo, epífita, entouceira rápido e floresce abundantemente (inclusive várias vezes ao ano, se bem cultivada). 
As flores, como se pode observar nas fotos, são muito belas e de um amarelo cativante, que tende a se intensificar à medida que a flor vai amadurecendo.
No gráfico acima eu tento detalhar um pouco do que foram essas 10 floradas sequenciais, num intervalo compreendido entre janeiro de 2013 e final de 2020: vejam que a produção de flores, em termos quantitativos vai aumentando com o passar dos anos, atingindo o auge em 2017, com 10 flores numa única florada. Depois veio uma tendência de queda, isto porque ela estava entouceirada e foi necessário o fazimento de cortes e o replantio. Em todo esse período de flores ela gerou uma cápsula de sementes em apenas um momento, que foi na florada de 2014.2.
Veja abaixo uma "sequência" de floradas e perceba como a tonalidade das flores muda, logo que os botões abrem até a sua maturação.


sábado, 5 de dezembro de 2020

400 - Orquídea: Catasetum ciliatum


Esta muda foi adquirida em 2018, através de uma troca com uma orquidófila alagoana e floriu pela primeira vez neste ano de 2020, entre setembro e novembro, num total de 09 flores produzidas. Tem algumas características que me fizeram pensar que não se tratava simplesmente de um catasetum (isto antes mesmo de ver as suas flores), visto que a haste floral cresce ereta, não costuma pender, como na maioria dos catasetums e os pseudobulbos são mais alongados e finos. Porém, ao abrir as flores, não se pôde negar as suas características típicas às demais flores dos catasetums, como a disposição do labelo e das pétalas e sépalas. O nome da espécie, ciliatum, é facilmente compreendido quando olhamos para esses cílios ao redor da estrutura floral em destaque.
Agradecimentos ao grupo do Deusvando Orquídeas (no Facebook), que me ajudou a identificá-lo!

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Catasetum macrocarpum de outra variedade - flores 2020

Eu tenho afirmado que este Catasetum macrocarpum é de outra variedade justamente porque as suas flores têm aspectos diferentes daqueles encontrados no catasetum macrocarpum tipo (e típico), dentre eles: o próprio tamanho e formato das flores, mas especialmente a tonalidade dessas flores (bem mais suave e esverdeada) e as pintinhas no interior das flores também é diferente (às vezes mais pálidas e em menor distribuição).

O fato é que, desta vez foram 26 flores entre maio e setembro de 2020, produzidas em duas hastes florais sequenciais.


quarta-feira, 11 de novembro de 2020

Denphal pink - flores 2020

Mais uma incrível floração desta orquídea do gênero Denphal. Foram cerca de 5 meses produzindo flores, num total de 70 flores, em mais de 5 pseudobulbos em floração. Para quem gosta de flores duradouras e chamativas este é um gênero que vale a pena se ter em sua coleção.

Está plantada num vaso de argila, com substrato específico para epífitas.

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Paphiopedilum leeanum - flores 2020

Esta é uma orquídea de hábitos terrestres, mas que tenho cultivado numa mistura de terra com substrato específico para epífitas. E isso tem dado certo, acho que o maior indicador é o aumento significativo na quantidade de flores produzidas (01 apenas na primeira floração do ano passado e 06 flores na atual floração de 2020). Confira abaixo belas fotos desta última produção de flores!

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

388 - Orquídea: Epidendrum rigidum

Pequena espécie epífita de Epidendrum. É uma das primeiras espécies de orquídeas descritas, publicada em 1760 por Jacquin. A espécie tem grande dispersão geográfica, ocorrendo desde a América Central até o sul do Brasil, mas tem apenas uma sinonímia heterotípica, Epidendrum pium Rchb.f. & Warm.”.

“Trata-se de uma espécie bastante fácil de identificar mesmo sem flor, dadas algumas características do vegetal”:

- crescimento ereto;

- folhas coriáceas até 6 cm de comprimento por até 2 cm de largura, amplexicaules (ou seja, sem pecíolo, com sua base envolvendo o caule);

- rizoma de até 3 cm (relativamente longo para uma espécie desse porte);

- caules de até 15 cm, com pouco mais de 1/2 cm de largura, não ramificados e de espessura constante da base à extremidade.

“Floresce no inverno. A inflorescência é apical, surgindo envolta em brácteas longas, que cobrem parte das flores, que são verdes-amareladas, com até 1 cm de diâmetro e de 3 a 8 por inflorescência. Os segmentos florais são rígidos e brilhosos. As pétalas e sépalas são levemente côncavas, com sépalas de 0,5 a 0,8 cm de comprimento por 0,3-0,4 cm de largura, enquanto as pétalas são um pouco menores no comprimento e com um terço da largura das sépalas. O labelo é carnoso, sem lóbulos, de colorido um pouco mais claro que as pétalas e sépalas e apresenta uma calosidade na base, em forma de duas saliências”.

“O nome da espécie vem do latim e é referência à rigidez das folhas e/ou das flores.[i]

Observação endógena:
esta é uma micro orquídea que foi conseguida em 2018 aqui mesmo na nossa região, até porque sua área de abrangência envolve  naturalmente também o nosso estado de Alagoas. Dois anos após a sua aquisição ela veio a florir, exatamente neste ano de 2020, entre os meses de junho e outubro, produzindo mais de três dezenas de flores e algumas cápsulas de sementes. Tenho observado que se trata de uma orquídea de fácil cultivo, muito resistente e de entouceiramento razoavelmente rápido. Está sendo cultivada em vaso de plástico, com subtrato específico para epífitas. Tenho outras mudas amarradas em árvores e também em pedaços de madeira, sem substrato envolto e mesmo assim têm se desenvolvido muito bem.

Amigos e Seguidores