ORQUÍDEAS * BROMÉLIAS

segunda-feira, 30 de janeiro de 2023

411 - Orquídea: Cattleya porphyroglossa

Esta bela Cattleya porphyroglossa foi um presente que ganhei do amigo e orquidófilo pernambucano, Kristiano. Recebi a mesma em setembro de 2021 e a primeira floração ocorreu pouco mais de um ano depois, em novembro de 2022. Duas flores, mas muito bonitas e de um agradável perfume, que lembra o aroma dos chás de capim santo, por exemplo.

"É uma espécie epífita que vegeta próximo às margens dos rios, especialmente nos estados do Espírito Santo e Minas Gerais, bem como na Mata Atlântica do Rio de Janeiro e Santa Catarina".

“É uma orquídea de porte médio a grande, chegando a mais de 50 cm de altura. A flor tem em média 7 cm de diâmetro, em hastes eretas. As flores duram uma média de 15 dias. Aceita substrato bem drenado e por isso deve-se evitar o excesso de água, especialmente quando aparecem as produções de hastes florais[i].

Atualmente está sendo cultivada em vaso de argila com substrato comum para epífitas; ainda não recebeu adubação regular.

____________________________

[i] Disponível em: https://www.orquidario4e.com.br/cattleya-porphyroglossa-ad/p/cat00036 Acesso set. 2021.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2023

Cyrtopodium polyphyllum - flores 2022

Pessoal, trazendo para vocês a última floração deste Cyrtopodium polyphyllum, que ocorreu nos segundo semestre de 2022, em pleno verão. Desde algum tempo este Cyrtopodium está sendo cultivado diretamente no chão, aqui no meu quintal, assim ele tem se desenvolvido obedecendo fielmente as condições impostas pelas estações, bem como cumprindo rigorosamente o período de dormência, quando na época necessária.

terça-feira, 3 de janeiro de 2023

295 - Orquídea: Ansellia africana

Adquirida em 2016, produziu as suas primeiras duas flores apenas no final de 2022, isto é, 6 anos depois de ter sido comprada.
Em relação ao cultivo, pelo menos comigo, tem se mostrado de difícil cultivo. Atualmente está sendo cultivada num vaso de plástico, com substrato para epífitas. 
O que percebo é que, na maioria das vezes, as folhas secam sem motivo aparente, mas ainda assim dá tempo de formar uma boa reserva de nutrientes, nos psseudobulbos.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2022

428 - Orquídea: Rodriguezia obtusifolia

“Essa singela e surpreendente orquídea é um raro exemplar encontrado na Mata Atlântica e em algumas regiões de caatinga, tem uma beleza única em suas flores marcadas por uma anatomia característica”.
“Possui flores brancas contendo em seu interior uma mácula amarela, conectadas na parte final da haste, e que exalam um discreto e agradável perfume. Tem como característica produzir raízes aéreas cuja maioria não adere diretamente ao tronco”.  “Seu pseudobulbo é bem estreito e surge após o prolongamento dos rizomas formando uma espécie de broto, de onde surgem novos pseudobulbos a cada 15 ou 20 cm e crescem verticalmente, na árvore hospedeira”. 

“As flores se prendem a hastes florais de cerca de 40 cm contendo em média cinco flores. Estas possuem sépalas e pétalas brancas a rosadas, lanceoladas, com ápice agudo; labelo igualmente branco de cerca de 3 cm, sem calosidade, sem fímbrias e com lobos laterais indiferenciados e uma característica e charmosa mancha amarela em seu interior”[i].

Observação endógena: comprada em julho, já veio com haste floral e as flores abriram a partir de agosto. O pós floração está bem difícil, sério risco de morte, principalmente porque o orquidário me vendeu esta "planta" com apenas um pseudobulbo (o que é totalmente desaconselhável). Agora, vou aguardar...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2022

43 - Polystachya estrellensis - 10 floradas consecutivas

Olá pessoal, hoje trazendo para vocês a 10ª florada desta incrível micro orquídea, a Polystachya estrellensis, que é uma espécie epífita. 
Está comigo desde 2008 e neste ano completa a sua 10ª florada, no período compreendido entre 2009 e 2022, tendo falhado com a floração nos anos de 2017, 2018, 2019 e 2020 (não sei afirmar ao certo, se por problemas na planta ou se por falha minha de não ter registrado). Nestes momentos de floração, produziu cápsulas de sementes em pelo menos 5 ocasiões.

“Trata-se de uma orquídea que pertence à subtribo: polystachyinae; tribo: epidendreae; subfamília: epidendroideae”.

“É um gênero de orquídea nativa da América tropical e subtropical e Ásia. Flores pequenas, agrupadas em espigas de forma piramidal na haste floral favorece uma vista agradável (...). Neste país nós temos duas ou três espécies pertencentes a este gênero, todas elas com pequenas flores verde-amarelado[i]”.

“Foram registradas, inicialmente, para Alagoas, três espécies de Polystachya, a saber: P. caespitosa Barb. Rodr. E P. estrellensis Reichbº. Fº; logo a seguir: P. concreta Garay et Sweet. Cerca de cinco anos após estas primeiras constatações, 1986, encontramos P. Hoehneana KRZL – de longa sobrevivência sobre ramos de arbustos, como salgueiro, por exemplo. À semelhança de Catasetum, essas espécies perdem as folhas periodicamente, mas, com satisfatório suprimento de água, não tarda a renovação das mesmas”. 

“É notável a reprodução de Polystachya estrellensis, em virtude da abundância de suas pequeninas cápsulas, dispersando infinidade de férteis sementes, que germinam sobre os vasos vizinhos, até nas vigas do ripado. Sua dispersão é vasta, no território alagoano, desde pontos mais elevados, 450/500 m, até nos tabuleiros (ouricurís etc.)”.

Curiosidade: “Tem sido possível acompanhar um deste exemplar que surgiu sobre uma grossa raiz de cajueiro, à altura do solo, meia sombra. O local (aquela raiz) em princípio nada favorável à reprodução de orquídeas[ii]

 
Abaixo veja o gráfico da quantidade de flores nos respectivos anos.

[i] Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Epidendroideae> Acesso em jun. de 2008.

[ii]PEREIRA, Luis de Araújo. Álbum das Orquídeas de Alagoas. – Maceió: IMA-AL/PETROBRÁS/TRIKEM/GRUPO JOÃO LYRA, 2000 (p. 259).

quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Cattleya chocolate drop - flores 2022

Em 2022, esta Cattleya chocolate drop floresceu por duas vezes, nos períodos de março a abril e depois entre julho e agosto, totalizando cerca de 10 belíssimas flores.
Trata-se de uma Cattleya muito bela, conforme pode-se conferir nas fotos e no vídeo abaixo. O cultivo é fácil, deve-se ter cuidado com o envelhecimento do substrato.

Confira as principais fotografias registradas, abaixo.

Amigos e Seguidores