terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Bc. Saint Andre - flores 2018

A última postagem sobre este híbrido havia sido apenas em 2015, sendo apenas 2 flores produzidas, confira AQUI a postagem anterior. Este ano, porém, ela floriu em 5 pseudobulbos consecutivos, e nada mais nada menos que 8 belíssimas flores. As flores de Bc. saint andre são bem grandes e têm este labelo muito belo e chamativo; um detalhe é que elas perdem essa cor intensa em poucos dias e permanecem pálidas até secarem completamente. É uma orquídea epífita de fácil cultivo e que entouceira rapidamente.

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Cattleya intermedia var. alba - segunda floração em 2018

Agora pertinho do final do ano ela simplesmente triplicou a produção de flores, de 1 para 3 flores (sendo que se trata da sua segunda floração apenas neste ano de 2018). As orquídeas de flores albas são simplesmente fantásticas; e atente-se também para a beleza destes labelos!
Neste link você pode conferir a primeira postagem ocorrida também neste ano.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Brassia rex - flores 2018

Esta é uma orquídea incrível, popularmente conhecida como orquídea-aranha, por conta do formato das flores e também por causa de algumas máculas que fazem lembrar as características de uma certa aranha.
Este ano ela floriu em grande estilo, bem mais caprichosa do que nos anos anteriores, isto porque produziu duas hastes florais e dezenas de flores, mas também a produção de três cápsulas de sementes (duas numa das hastes e uma terceira na outra haste).
É interessante também registrar aqui que a última postagem sobre as suas florações havia sido apenas em 2015 (época em que havia florido).

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Alatiglossum barbatum - flores 2018

Mais uma bela floração desta orquídea epífita, bastante comum em nossa região... Antes chamada de Oncidium cilliatum/Oncidium barbatum, tive que sair mudando todas as postagens anteriores para a nomenclatura de Alatiglossum barbatum, o que parece ser o nome mais aceito atualmente. Um pequeno grupo de estudiosos brasileiros vem reconstruindo e renomeando diversos grupos de orquídeas, as quais foram nomeadas indiscriminadamente por estudiosos estrangeiros, sem se atentarem para especificidades muito peculiares e próprias das nossas orquídeas brasileiras.
Eu tenho diversas plantas deste gênero e espécie, mas mesmo assim as florações trazem características distintas, nada radical, mas superficialmente diferentes.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Ludisia discolor - flores 2018

Ludisia discolor é aquela orquídea que, "além de ser uma orquídea" é  uma planta extremamente ornamental, por isso merece toda a nossa atenção... Isto porque suas folhas tem uma beleza peculiar, muitas vezes chamando a atenção muito mais do que suas pequenas e brancas flores. Não vale a pena tê-la apenas num pequeno/médio vaso, é mais interessante tê-la num canteiro, numa jardineira (é o caso aqui), enfim, num local que ela possa crescer bastante e criar um cenário de beleza incrível, estando florida ou não. Como se pode ver nas fotos, esta floriu em mais de 10 hastes, o que proporcionou um clima de primavera fantástico!

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Phalaenopsis: orquídeas floridas em 2018

Hoje trago para vocês (amigos(as) e leitores(as)) do Orquídeas-Bromélias, as principais orquídeas do gênero Phalaenopsis que floriram - no meu orquidário - neste ano de 2018. São três que já haviam sido mostradas aqui no site, sendo elas: Phalaenospsis listrado x pintado, Phalaenopsis exótico x dálmata e Phalaenopsis rosa com pintas. E outras duas que são novidades: a Phalaenopsis branco com pintas e uma outra de coloração avermelhada, ainda não identificada (porém, sendo uma mini phalaenopsis); quem puder me ajudar na identificação desta última, eu agradeço desde já!
Obs. as fotografias abaixo seguem a ordem de apresentação do texto anterior.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

347 - Orquídea: Psygmorchis pusilla

"Psygmorchis pusilla é amplamente distribuído no Brasil, ocorrendo em todas as regiões do país. A espécie não é endêmica do Brasil, mas ocorre em diversos estados brasileiros, quais sejam: RR, AP, PA, AM, AC, RO, MA, CE, PE, BA, AL, MT, GO, MG e RJ. Planta herbácea, epífita, ocorrendo em florestas ombrófilas densas e florestas ombrófilas mistas, associadas aos domínios fitogeográficos da Mata Atlântica e Amazônia. A espécie consta como vulnerável, em avaliação de risco de extinção na flora do Estado do Paraná" [1].

Sinônimos:
Psygmorchis allemanii; Oncidium pusillum; Cymbidium pusillum; Epidendrum pusillum; Epidendrum ventilabrum; Erycina alemanii; Oncidium alemanii; Oncidium iridifolium; Tolumnia pusilla.

"Esta pequenina planta, com sua curiosa disposição de folhas em forma de leque - e interessantes flores, apesar de diminutas dimensões - ocorre com certa frequência nas matas alagoanas, vicejando sobre galhos finos e cipós em ambientes úmidos, com certa altitude (...). Seu sistema radicular deve dispor de relativa umidade constante - sendo o ideal, os musgos existirem na mesma área que a planta for instalada (...)" [2].

Observação endógena: esta é uma orquídea de pequeno porte, porém, produz flores de tamanho bastante considerável, se relacionadas com o tamanho (estrutura da planta). Eu adquiri esta orquídea através de uma troca com uma orquidófila da cidade de Pilar/AL. Logo que se adaptou as novas condições iniciou esta floração em 3 belas flores. Dada a diversidade de nomes (gêneros) pelos quais é chamada, acaba sendo mais conhecida como Oncidium pusilla.


______________
[1] Disponível: http://www.cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Erycina%20pusilla Acesso abr. 2018.
[2] PEREIRA, Luis de Araújo. Álbum das Orquídeas de Alagoas. Maceió: IMA-AL/PETROBRÁS/TRIKEM/GRUPO JOÃO LYRA, 2000. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores

Amigos no G+