quarta-feira, 17 de julho de 2019

259 - Orquídea: Pholidota imbricata

Origem: sudeste asiático;
Clima: quente e úmido;
Luminosidade: de sombra à meia-sombra;
Regas: diárias;
Status ecológico: em risco de extinção na natureza.

Características: “é uma orquídea epífita, com pseudobulbos de cerca de 5 cm e folhas retinervadas entre 15 cm e 20 cm, verde-brilhantes”.

Tipo de substrato: “pode ser cultivada em placas, palitos de fibra de casca de coco ou em vasos, com uma mistura de fibra de casca de coco ou esfagno, com casca de pinho ou peroba”.

“É uma planta bem resistente a doenças, mas pode ser atacada por doenças fúngicas como a ferrugem. Use fungicida específico recomendado por um agrônomo. Os insetos que mais atacam essa orquídea são os pulgões, principalmente na fase de brotação. Um controle manual costuma ser o suficiente, mas se o ataque for intenso use detergente líquido diluído em água”.

Floração: “ocorre no fim do inverno e primavera. Emite uma haste floral de cerca de 20 cm, portando até 16 flores de 1,5 cm de diâmetro, com pétalas e sépalas amarelo-pálidas, quase brancas e com labelo de mesma cor e maculado de marrom[i]”.

Observação endógena: esta orquídea foi adquirida ainda pequena e por isso houve uma espera de pelo menos três anos até a sua primeira floração. Após a emissão da primeira haste floral ela não parou mais, logo, pode se considerar que sua floração já dura há pelo menos um ano, em sucessivas hastes florais que vão surgindo à medida que os pseudobulbos jovens se tornam um pouco robustos e em termos de estrutura, já forma uma touceira bastante atrativa.

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Acianthera pubescens - flores 2019

Cá estou eu, galera, com mais uma postagem sobre esta peculiar orquídea, do gênero Acianthera. Pra quem gosta de uma orquídea compacta, pouco exigente e que floresce bastante, esta acianthera pubescens é fantástica! Outra coisa interessante é que ela consegue, quase que simultaneamente, produzir flores e emitir novos pseudobulbos.
Como se vê, esta minha planta já está se tornando uma touceira razoável.

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Brassavola perrini - flores 2019

Depois de quase 3 anos sem postar sobre nenhuma floração deste incrível gênero, cá estou mais uma vez para deixar algumas fotografias da última floração desta Brassavola perrini, ocorrida este ano de 2019.
É verdade que não foram muitas flores, mas há de se considerá-las, por conta da beleza, da delicadeza e da particularidade desta espécie (desde a sua estrutura morfológica até a sua florada).
Trata-se de uma orquídea que deve ser cultivada preferencialmente em placas ou fixada em árvores (se você dispor delas em seu quintal), não que suas raízes exijam essa maneira de fixação e plantio, mas sua estrutura foliar sim, ficando assim mais elegante e facilitando o seu crescimento.

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Anacheilium vespa - flores 2019

Esta é uma das orquídeas mais interessantes que eu disponho, especialmente por causa do formato do labelo floral, que se apresenta da maneira invertido, o que é uma característica da maioria das orquídeas deste gênero. A quantidade de flores por florada tem aumentado cada vez mais (este ano foram 11 flores em apenas 1 haste floral) e atualmente ela está sendo cultivada num vaso de argila, forrado com argila expandida e substrato composto por casca de pinus, carvão vegetal, chips de coco e sphagnum.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Blc. pastoral 'ave maria' - flor em 2019

Este é um daqueles híbridos de florações agigantadas, isto porque as dimensões de suas flores ultrapassam tranquilamente o tamanho de uma flor de Cattleya labiata tipo, por exemplo. Talvez devido a esse tamanho todo, é mais comum a produção de flores em pequena quantidade por florada. No caso desta minha, o máximo de flores que ela produziu por vez, foram três e nas demais florações apenas uma flor enorme.
Atualmente está sendo cultivada num vaso de plástico, com argila expandida ao fundo e substrato composto por casca de pinus, carvão mineral, chips de coco e um pouco de sphagnum; vez por outra eu faço uma aplicação de adubo tipo bokashi (mais ainda sem uma regularidade pré-estabelecida).
Também ainda há uma dúvida em relação a verdadeira identificação deste híbrido, seria mesmo a Blc. Pastoral 'Ave Maria' ou se seria, na verdade, a Bc. Pastoral 'Innocence'.

Agradeço desde já possíveis colaborações!

terça-feira, 11 de junho de 2019

256 - Orquídea: Neobenthamia gracilis


"Neobenthamia gracilis é conhecida popularmente como ‘orquídea buquê de noiva’. Por se tratar de uma planta totalmente fora dos padrões habituais das orquídeas, este gênero possui apenas uma espécie, a gracilis”.
“É originária das montanhas Nguru e Cordilheira Uluguru, ambas localizadas no leste da Tanzânia, na África. Habita em altitudes entre 500 e 1.800 m, de forma predominantemente terrestre, em solos ricos em material em decomposição, podendo também ser encontrada vegetando de forma epífita, em árvores cobertas de musgo, ou ainda de forma rupícola, acomodada e fixada em rachaduras”.
“O nome deste gênero, Neobenthamia, é uma homenagem ao renomado botânico inglês George Bentham. O prefixo deriva do grego: neos, que significa ‘novo’, por se tratar de uma segunda homenagem a esta pessoa. Já o nome da espécie deriva do latim, gracilis, que significa ‘delgado’, em referência ao longo e fino caule desta espécie”.

Nomes anteriores:

Polystachya holtzeana;
Polystachya neobenthamia.

“É uma planta que forma enormes touceiras, com longos caules que podem chegar perto de 2 m de altura, de onde brotam de forma pendente longas hastes florais de até 80 cm de comprimento, terminadas em um denso ramo de flores”.
“Apesar de ter flores pequenas, esta planta não entra na classificação de micro-orquídea. As flores têm em média 1,5 cm de diâmetro, com cor predominantemente branca e com labelo maculado de amarelo e pintalgado de cor púrpura. Tem um maravilhoso perfume suave, delicado e adocicado”.

Regras básicas para o cultivo:

· Sugiro cultivo em vaso fundo de plástico ou em canteiros adaptados dentro do jardim.
· Para ambos os casos, sugiro utilizar um substrato bem poroso, composto por partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal, pedra brita e areia grossa. Se puder acrescentar um pouco de turfa, fica melhor ainda.
· Esta planta gosta de muita luminosidade. Sugiro cultivo com 30% de sombreamento.
· Suporta temperaturas entre 10 a 35 graus. Para um bom cultivo e indispensável protegê-la das geadas e baixas temperaturas.
· Assim como a Dendrobium nobile, a Neobenthamia gracilis também pode ser reproduzida pelo processo de estaquia. Recomendo.
· Agora, independentemente da forma de cultivo, temos que tomar muito cuidado com esta planta. Seus bulbos são extremamente frágeis e quebradiços. Se plantada no jardim, procure locais protegidos.
“Floresce normalmente entre o inverno e a primavera. Geralmente floresce mais de uma vez por ano, com suas magníficas ‘bolas’ de flores brancas e perfumadas. Cada floração dura em média 20 dias"[i].

Observação endógena: esta foi mais uma daquelas orquídeas que demoraram bastante para emitir a primeira floração, sem bem que foi comprada muito pequena, algo em trono de 12 cm e atualmente já está com mais de 40 cm. De início, também, eu acabei me confundindo na identificação e só recentemente eu tive a certeza que se trava da Neobenthamia, talvez por isso eu tenha cultivado a mesma sempre na condição de epífita, apesar de ser originalmente mais comum encontrá-la na forma terrestre ou rupícola.
Foram produzidas várias hastes florais e logo depois da floração esta orquídea emitiu diversos keikes e novas raízes no decorrer da estrutura.

segunda-feira, 3 de junho de 2019

306 - Orquídea: Dendrobium aphyllum x Dendrobium primulinum

É uma orquídea epífita, de porte médio a grande, chegando a mais de 1 metro de comprimento em determinados cultivos.
A flor tem um tamanho médio de 5 cm, em cachos pendentes e dura em torno de 12 dias.
Quanto às folhas, elas caducam e é geralmente após esta fase que as flores aparecem.
Clima: tropical e média umidade.
Origem: Ásia.
Cultivo: está sendo cultivada num vaso de plástico, com substrato para epífitas e aparenta estar muito bem adaptada, haja vista esta primeira produção de flores.

Observação endógena: como dito anteriormente, esta foi a sua primeira floração, num total de 9 flores.
Como se pode ver nas fotografias, as flores aparecem dispostas no decorrer de todo o pseudobulbo, sem folhas, o que confere uma visão ainda mais incrível. Estas flores têm um aspecto frágil e o labelo é bastante chamativo, com essas pequeninas brácteas (esse franjado comedido e minúsculo).

terça-feira, 28 de maio de 2019

343 - Orquídea: Cattleya intermedia flamea x Cattleya amethystoglossa

Trata-se de uma linda Cattleya híbrida, originária do cruzamento entre Cattleya intermedia flamea X Cattleya amethystoglossa. É um pouco difícil encontrar informações no que se refere a preferência de cultivo e características gerais sobre boa parte dos híbridos. Mas, pode se afirmar que - como quase toda e boa cattleya - se trata de um exemplar de flores vistosas, elegantes e coloridas; planta resistente e de fácil cultivo, que aprecia clima tropical e boa luminosidade. 
Está sendo cultivada na condição de epífita e em vaso de plástico com uma mistura de casca de pinus, carvão mineral e chips de coco (substrato).
Foi adquirida dois anos atrás e floriu pela primeira vez no início deste ano. 

terça-feira, 21 de maio de 2019

275 - Orquídea: Epidendrum híbrido rosa

Este é um Epidendrum híbrido incrível e de proporções avantajadas, desde a parte estrutural da planta, até a haste floral e o tamanho das suas flores. A planta está com cerca de 40 a 50 cm de comprimento e a maior haste floral, este ano, atingiu cerca de 1 m de comprimento. Foram dezenas de flores (grandes e resistentes) e o mais interessante é que elas abrem simultaneamente e permanecem assim por semanas, nesse formato circular (como uma bola de flores, mesmo), ao contrário da maioria dos epidendrums que abrem as flores de maneira sequencial (ao passo que as mais antigas vão murchando) e assim não se consegue ter este espetáculo visual.

E o mais importante nesta postagem: se alguém tiver uma dica de identificação, por favor, comente abaixo! Obrigado.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

54 - Orquídea: Epidendrum nocturnum - 10 floradas consecutivas

Esta é uma orquídea que foi adquirida em 2010, através de uma compra a uma orquidófila de Rio Largo-AL.
Mais uma das minhas orquídeas colecionáveis completou 10 floradas consecutivas no período compreendido entre setembro de 2011 e dezembro de 2018, conforme ilustrado no gráfico abaixo. O Epidendrum nocturnum é uma orquídeea incrível, de pseudobulbos apaixonantes e essas flores que brotam por diversas vezes (inclusive num mesmo pseudobulbo), sucessivamente no decorrer dos anos. Pode ser encontrada na forma epífita, rupícola ou terrestre; a minha está sendo cultivada de maneira epífita e já passou por diversos tipos de vasos, dentre eles o cachepot e o vaso de argila.
Como se pode ver, a quantidade de flores vem oscilando e atingiu o auge entre fins de 2013 e início de 2014, com 19 flores. Depois houve um decréscimo, muito por conta das mudanças climáticas e também por causa de pontuais mudanças de vaso e substrato, bem como retirada de cortes. Em todo esse período ela produziu cápsula de sementes em apenas um momento, que foi na sua primeira floração.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores