terça-feira, 11 de agosto de 2020

57 - Denphal ekapol - 10 floradas consecutivas

Estamos aqui para mostrar mais um orquídea epífita que atingiu 10 floradas consecutivas aqui no meu orquidário (e isso é gratificante), qual seja, a Denphal ekapol. Trata-se de uma orquídea que foi adquirida em agosto de 2010, sendo ainda uma muda jovem. 

De lá para cá foram muitas as florações, gerando inclusive, uma cápsula de sementes, o que não é muito comum neste gênero. Além disso, por diversas vezes ela produziu diversos keikes, a partir dos quais eu fiz novas mudas.

Só para relembrar: não se trata de um híbrido entre Dendrobium e Phalaenopsis, pois o nome Denphal, meio que foi "inventado” ninguém sabe por quem...Embora predomine no mercado plantas de colorido avermelhado, que vai do rosa ao vinho, passando por tons e texturas, chegando em alguns casos a apresentar um aspecto aveludado e quase negro, podemos encontrar também plantas com tantas outras cores, bem como aquelas de cor alba. Temos ainda plantas consideradas compactas, e também aquelas que atingem mais de 1 m de altura. São plantas facilmente adaptáveis ao clima tropical do Brasil e suas diversas especificidades, a depender da região do país, de modo que atualmente podemos encontrar Denphal florido praticamente durante o ano todo.

A cápsula de sementes foi gerada no período compreendido entre 2016 e 2017.

Veja abaixo o gráfico da quantidade de flores por florada e/ou período de floração, e também algumas fotos em destaque.

domingo, 19 de julho de 2020

Cattleya guttata - flores 2020

A Cattleya guttata é, sem dúvida, uma das mais belas orquídeas da minha modesta coleção e uma das preferidas entre o gênero Cattleya. É verdade que ela tem exigido um certo cuidado, mais apurado do que aquele oferecido as demais, fator este que tem me deixado em dívida constante com ela. Talvez por conta desse desacerto, ainda não pude vê-la formar touceira (em todos esses anos de cultivo), o que inviabiliza - dentre outras coisas - uma floração quantitativamente mais atraente e satisfatória. Qualitativamente, porém, ela sempre dá uma show, com essas flores bonitas, saudáveis e atraentes.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Cattleya labiata semi-alba var. 'amoena': flores 2020

Olá pessoal! Mais uma florada desta Cattleya labiata semi-alba var. 'amoena', cujas flores são um espetáculo à parte, desta feita no início de 2020. Lembrando que esta variedade foi encontrada aqui da região, porém, bastante difícil de ser encontrada (esta é a única, por enquanto).

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Catasetum penang - flores 2020

Este é um Catasetum de florações muito interessantes, sendo (salvo engano) a sua segunda floração aqui no meu cultivo. Este ano eu polinizei duas flores femininas do Catasetum joão stivalli com as suas políneas; agora é torcer para que elas se desenvolvam bem e o mais importante: que após o semeio, algumas venham a se desenvolver e gerar novas plantas (para podermos ver o resultado)!

terça-feira, 23 de junho de 2020

NA SEMANA QUE COMEMORAMOS O DIA DO ORQUIDÓFILO, EIS UM BREVIÁRIO DE UM(A) ORQUIDÓFILO(A)


1º- Não devo ter mais orquídeas do que as que posso tratar bem;
2º- Devo tratá-las como entes vivos e procurar compreendê-las, o que talvez seja a meta mais importante da orquidofilia;
3º- Não devo mudar nada numa planta que está sempre progredindo e melhorando: é uma planta satisfeita e qualquer mudança poderá prejudicar seu ritmo;
4º- Devo mexer o menos possível em minhas plantas, não as trocando de lugar a todo momento. Devo lembrar-me que elas criaram um ambiente favorável e a ele se adaptaram, portanto não as devo perturbar;
5º- Devo ter cuidado com as doses de inseticida porque poderá prejudicar minhas plantas;
6º- O mesmo cuidado devo ter com a adubação: não devo exigir que minhas plantas atinjam um desenvolvimento excepcional, porque elas se desenvolverão sempre dentro de certos limites;
7º- Devo passar todo o tempo que puder com as minhas plantas, a fim de conhecê-las melhor;
8º- Devo estudar e as observar, e não apenas seguir palpites na cultura delas;
9º- Devo fazer tudo direito para me tornar um bom orquidófilo(a) e cultivador(a);
10º- Devo visitar amigos(as) orquidófilos(as) sempre levando comigo uma bela orquídea ou uma muda que lhes darão prazer;
11º- Devo olhar as plantas dos(as) amigos(as), mas não dá nenhuma opinião sobre elas, a não ser que seja solicitado(a) a fazê-lo. É próprio da vaidade humana julgar que o que se tem é o melhor;
12º- Devo dar minha opinião simplesmente procurando termos que não firam a suscetibilidade de ninguém. Devo lembrar-me que a orquidofilia é um meio de aproximação, de fazer amigos(as), não inimigos(as);
13º- Nunca devo dizer que minha planta é melhor, embora, às vezes pense assim;
14º- Devo, quando solicitado(a), dar os conselhos que me forem pedidos, bem claramente, procurando com eles orientar o(a) orquidófilo(a) novato(a), nunca me esquecendo de que já passei por essa fase;
15º- Não devo fazer segredo de nada que sei, porque devo ter sempre presente que, agindo de modo contrário, nada mais serei do que um egoísta...

Esse "Breviário" foi oferecido pelo orquidófilo Dr. Adolfo Sousa Grota, aos associados da Sociedade Bandeirante de Orquídeas, no final de uma palestra em 21 de Outubro de 1969.

(Copiado das redes sociais, em virtude da passagem do dia do Orquidófilo, comemorado em 22 de junho de cada ano).

terça-feira, 16 de junho de 2020

Rodriguezia bracteata - flores 2020

Mais uma incrível florada desta Rodriguezia bracteata; essas flores foram produzidas entre março a abril de 2020 e dessa vez teve um diferencial a mais: isto porque produziu uma belezinha de cápsula de sementes. Observei que é um período muito curto que a cápsula leva para entrar em maturação e eclodir, liberando as minúsculas sementes.

sábado, 6 de junho de 2020

377 - Orquídea: Rodriguezia lanceolata

"A Origem da espécie não é apenas uma. Já foi encontrada em diversas regiões do planeta. Em algumas delas, foi descoberta em grandes quantidades. Os locais onde a Rodriguezia lanceolata foi mais encontrada são: Panamá, Guiana, Equador, Suriname, Venezuela e sudeste do Brasil”.
“A Rodriguezia lanceolata pertence à família Orchidaceae, subfamília Epidendroideae, tribo Cymbidieae, subtribo Oncicediinae e gênero Rodriguezia”.
“’O nome do gênero da espécie é em homenagem ao botânico e médico espanhol do século XVIII, Manuel Rodriguez”.
“O cultivo da planta é considerado difícil, até mesmo por causa da sua manutenção complicada. A forma de cultivo da espécie ajuda a dificultar ainda mais o seu plantio”.
“Como já deu para perceber, a espécie é nativa da América do Sul, sendo extremamente resistente ao clima tropical de todo o continente”’.

Flores
“As flores da Rodriguezia lanceolata chamam muita atenção por causa da sua cor exuberante em rosa e até mesmo meio avermelhada. O tamanho das flores é considerado pequeno. Muitas dessas espécies chegam a ter a pétala somente com 2 cm”.
“As flores passam a brotar com um ou mais cachos para cada pseudobulbo existente na espécie, com brácteas idênticas a folha principal. A base do seu labelo é considerada uma pequena mácula branca e/ou amarelada, tendo em vista que a inflorescência será sempre mais puxada para o vermelho do que para o rosa propriamente dito”.
“Conforme o ângulo de visualização da espécie, as flores podem parecer brilhantes e translucidas. Por isso, a localização da espécie do jardim é um fator muito importante para a sua função paisagística”.

Folhas
“As folhas podem ser realmente pequenas, assim como as flores, e possuem tamanho de mais ou menos 10 a 25 cm, sendo bastante flexíveis no geral. Em sua maioria, são estreitas e lanceoladas”.

Cultivo
“Uma das dicas de cultivo mais recomendadas, seguinte sempre as suas características gerais, é aplica-las em laranjeiras e pés de goiaba com galhos finos e úmidos e que estejam [quase] sempre à sombra”.
“A espécie também pode ser facilmente cultivada dentro de casa, desde que siga alguns pré-requisitos básicos”.
§  telhado de sombreamento 70%;
§  regas abundantes durante períodos secos;
§  plantio preferencial em galhos de cafeeiros ou placas de madeira cortadas de forma mais estreita e disposta em vasos de garrafa pet, sabugos de milho ou mesmo em caixas de madeira, sendo elas guarnecidas com pedaços de coco seco dessalinizado.
“Para cultivar da forma mais eficaz possível, não se esqueça de utilizar 20% de sphagno misturado com 40% carvão e 40% de cascas moídas. Coloque tudo isso da muda da espécie em um local com 70% de sombreamento preferencialmente”.
“Uma das coisas que se deve ter muita atenção no cultivo da Rodriguezia lanceolata é que ela não tolera raízes úmidas e por isso, deverá ser plantada em cachepôs e outros recipientes feitos com madeira. Com isso, é preciso regar a espécie pelo menos a cada dois, evitando o encharcamento”.
“O substrato da espécie deverá estar bem seco para que as regas voltem a ser feitas de forma constante. As regas e a adubação devem ser frequentes. Também podem se retirar os substratos dos cachepôs, mas observe se a sua espécie vai se desenvolver bem nessas condições[i]

Observação endógena: esta foi a minha segunda tentativa com o cultivo desta Rodriguezia e, finalmente, deu certo. A mudança em relação ao primeiro cultivo (o qual perdi uma muda) é que estava plantada num vaso de plástico e desta vez resolvi plantar a nova muda adquirida, num toquinho. As flores duraram poucos dias, mas acredito que o espetáculo mesmo será quando ela for uma touceira e vier a produzir em grande quantidade.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Blc. Waikiki Gold 'Lea' - flores 2020

Este é um dos híbridos mais interessantes que há na minha coleção, e também um dos mais antigos. Alguns anos atrás estava entouceirada e eu, ao mudá-la de vaso, fiz alguns cortes, o que fez com que a produção de flores diminuísse bastante, vindo a retomar certa normalidade recentemente. Ainda assim, foram apenas duas belas flores no início deste ano de 2020. A tendência é que aumente a produção das flores nas próxima floradas, visto que já vem produzindo alguns novos bulbos há alguns meses.
Atualmente está sendo cultivada num vaso de plástico (antes estava num vaso de argila).

domingo, 24 de maio de 2020

354 - Orquídea: Epidendrum denticulatum

(...) "É uma planta de fácil cultivo e que tolera as diversas faixas de temperatura: quente, temperado ou frio, porque sua área de dispersão inclui regiões quentes à beira mar, cerrado e montanhas. Pode também ocorrer na condição de rupícola. Este gênero não possui pseudobulbos, o caule é do tipo cana. Precisa de luminosidade intensa, podendo inclusive receber raios solares diretamente e uma excelente ventilação. Deve ser regado copiosamente durante o período de crescimento e sofrer uma leve redução da frequência durante o inverno, mas suas raízes nunca devem ficar completamente secas. Aplicar um fertilizante nitrogenado semanalmente durante o período de crescimento e a fórmula fosfatada desde três meses antes da floração".
Flores: as sépalas e as pétalas são lilás ou rosa púrpuro;
Quantidade de flores: mais de 5 por cacho;
Tamanho da flor: 2 cm a 3 cm de diâmetro;
Época de floração: verão, mas também em outras épocas do ano;
Origem: Brasil, sendo os estados de AL, AM, BA, MG, PR, 'PE, RS, RJ, SC E SP[i].


Observação endógena: eu já possuo esta orquídea há bastante tempo, mas só consegui ter boas floradas (como esta) e ter a real identificação recentemente, com a ajuda do meu amigo orquidófilo Pedro Balensifer, de Pernambuco. Já cultivei na condição de terrestre e não obtive bons resultados, posteriormente e até os dias atuais, na condição de epífita, tem se desenvolvido bem melhor, assim como produzir flores de ótima qualidade.


[i] Disponível em: http://www.delfinadearaujo.com/datacent/epcor3.htm Acesso mai. de 2020

domingo, 17 de maio de 2020

Rodriguezia bahiensis - flores 2020

Uma excelente florada em 2020 desta Rodriguezia bahiensis, a qual eu já cultivo há muitos anos.
Se você acompanha este blog há algum tempo vai lembrar que antes eu a mencionava aqui como Rodriguezia venusta, mas em conversa com o meu amigo orquidófilo pernambucano, Pedro Balensifer, ele me orientou que a identificação mais apropriada seria Rodriguezia bahiensis, visto que a Rodriguezia venusta não é de ocorrência em nossa região.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Oncidium sphacelatum - flores 2020

Finalmente voltou a florir em grande estilo, não somente flores de beleza singulares, mas em quantidade de admirar. O diferencial deste Oncidium - eu acho - é que ele rapidamente se transforma numa grande touceira; é uma orquídea que pode desenvolver um grande porte, desde bulbos bastante alongados e robustos, até folhas bastante compridas; outra característica importante é em relação as hastes florais (podem atingir facilmente mais de 1m de comprimento) e produzir com muita tranquilidade acima de 100 flores.

sábado, 25 de abril de 2020

Sarcoglottis curvisepala - flores 2020

Esta é uma das mais queridas orquídeas terrestres que eu possuo; não dá trabalho nenhum e todo ano rebrota em belas flores (perfumadas, inclusive) e depois vem as folhas, para se renovar e poder crescer, especialmente as suas reservas nutricionais que ficam embaixo da terra.
Quanto as folhas, são de um verde uniforme, longas e bem largas.
A floração sai de uma maneira incrível, rompendo o solo (veja AQUI).

Amigos e Seguidores