sexta-feira, 29 de abril de 2016

4 - Bicharada no Orquidário

Esta é a quarta postagem sobre os bichinhos encontrados no Orquidário; desde a primeira, que foi efetuada em 2014, muitos bichinhos foram devidamente clicados...
Desta vez temos: abelha e mosca, louva-a-deus; besouro, aranha, formiga, e mosquito.
As postagens anteriores sobre os bichinhos que aparecem no Orquidário, podem ser acessadas direto pelos links: UM; DOIS e TRÊS.
Aqui vemos uma espécie de Louva-a-deus camuflando-se numa Tillandsia.
Este 'besourinho' estava no labelo da Blc. waikiki gold 'Lea'.
Uma espécie de aranha prepara o ninho, próximo a formação de flores da Acianthera pectinata.
E dias depois, olha só a quantidade de filhotinhos de aranha (ao tempo que as flores da orquídea já estavam abertas).
Esta formiga estava a passear no botão da Cattleya nobilior,
Um mosquito de pernas grandes.
Mosca e abelha ("miguelão") nos botões da Cattleya tigrina var. leopoldii.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Denphal ekapol: um continuum de flores...

Esta é a terceira postagem que fazemos sobre a orquídea epífita Denphal ekapol, tendo sido a última, sobre a sua floração, em 2014. De lá para cá ficou bem difícil delimitar início e fim de suas floradas, porque há um continuum de flores, onde bulbos antigos e novos se revesam; para se ter uma ideia, de dezembro de 2014 até o momento, são 6 bulbos em floração e mais de 80 flores. Mas não é só quantidade, as flores deste Denphal são relativamente grandes e elegantes, como se pode ver nas fotos...

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Bromélia: Tillandsia pfisteri


Anteriormente, quando na época desta postagem, em abril de 2016, se tratava apenas de mais uma bromélia do gênero Tillandsia, sem identificação. Depois que comecei a comercializar orquídeas e bromélias acabei vendendo duas dessas plantas, inicialmente chamando-a de Tillandsia bractea. Mas, eis que o comprador me prestou um serviço de grande relevância neste meio: ajudou-me a identificá-la, nomeadamente sendo a mesma uma Tillandsia pfisteri, isto é, uma tillandsia nativa do Brasil.
Elas crescem preferencialmente sobre árvores (são epífitas); habitam áreas sub-úmidas ou sub-áridas, sob a incidência direta ou indireta de sol, apreciando a copa das árvores. O tom acinzentado dos talos e folhas deve-se a uma cobertura em forma de escamas (tricomas), ou seja, pêlos complexos.

terça-feira, 5 de abril de 2016

3 - Bicharada no Orquidário

Dando continuidade a nossa série de postagens que abordam sobre os pequenos animais (vertebrados, invertebrados...) que povoam o nosso Orquidário, chegamos a mais uma remessa de fotos! 
Espero que cada um de vocês possa apreciar (ou não) e comentar aqui abaixo...
Desde já, agradeço as visitas e as colaborações!
Veja também as postagens anteriores: 1 e 2 (Aqui e Ali)...
Esta e as três fotos seguintes mostram algumas pererecas, a dormir nas folhas das orquídeas, principalmente Encyclias e Catasetums.
 
 
 
Este grilo e outros já causaram alguns prejuízos as orquídeas, às vezes eles comem até as raízes delas!
Esta lagarta (ou taturana) estava passeando no substrato de uma Coelogyne cristata.
Esta outra passeava numa das folhas da Cattleya forbesii.
Este inseto estava sobre uma das folhas da bromélia Neoregélia firebol.
Aqui, formigas, num jovem pseudobulbo de Cattleya nobilior.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Algumas Bromélias em Parques Públicos de Curitiba/PR

Fizemos em outro Blog (Descanso para Loucura) algumas postagens sobre a capital do Paraná, Curitiba, e lá demos ênfase a alguns dentre os seus vários espaços verdes, que lhe dão o título de cidade mais ecológica de nosso país.
Destas postagens, eu destaquei as fotos de algumas bromélias, para postar aqui; aqui estão elas:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores