segunda-feira, 25 de março de 2019

362 - Orquídea: Notylia inversa

 
Notylia é um gênero botânico pertencente à família das orquídeas. Foi proposto por John Lindley em Botanical Register. 11: sub t. 930 , em 1825, ao descrever duas espécies. O nome é uma referência ao calo que existe no estigma das suas flores. As plantas do tamanho pequeno ou médio, uma maioria sem valor ornamental, têm algumas grandes proporções que se destacam”.
“Notylia agrupa quase 50 espécies epífitas, de crescimento específico, cerca da metade no Brasil. Ocorrência desde o México até o sul do Brasil”.
“Os pseudobulbos são rudimentares, parcialmente recobertos por bainhas foliares imbricantes, apresentam-se agrupados e possuem apenas uma grande folha plana oblonga ou ligulada. Da axila das bainhas nasce uma inflorescência, pendente, racemosa, longa ou muito longa, com flores dispostas em espiral, extremamente delicadas ou mais robustas”.
“As flores geralmente são esverdeadas, frágeis, pontiagudas ou pontudas, alaranjadas ou pardas. As pétalas e sépalas são sempre livres e costumam arquear-se de modo a quase começarem a fechar. O labelo possui uma garra perto da base, longo e triangular. A coluna apresenta antera dorsal com duas políneas[i]

Observação endógena: esta orquídea foi adquirida através de uma troca com  orquidófila de Pilar-AL. Identificada apenas como Notylia, logo após a sua floração eu fui em busca de localizar a qual espécie ela pertencia e não tem sido uma tarefa fácil. De acordo com o site Delfina de Araujo, que traz um detalhamento da ocorrência de orquídeas, por Estados brasileiros, em Alagoas nós teríamos apenas as seguintes espécies de Notylia: punktata, barkeri e microchila. Até que se prove o contrário, esta orquídea ora relatada seria encontrada aqui em Alagoas, porém, observando a sua floração, olhando fotos e pesquisas, pairou a dúvida sobre a sua real identificação.
Então, quem puder ajudar na identificação, eu agradeço desde já.
[i] Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Notylia Acesso mar. 2019.

sábado, 16 de março de 2019

Cattleya bicolor brasiliensis - flores 2019

Esta foi uma incrível florada desta Cattleya bicolor, ocorrida no início deste ano; foram 2 pseudobulbos simultaneamente em floração, cada um com 2 belas flores.
Cattleya bicolor pode ser encontrada (na natureza) na forma de epífita, rupícola, terrestre ou humícola (vivem sobre matéria em decomposição); apreciam boa luminosidade, seus pseudobulbos podem atingir mais de 1 m de comprimento.

terça-feira, 12 de março de 2019

357 - Orquídea: Cyrtopodium blanchetii Rchb.f.

"Cyrtopodium blanchetii tem ocorrência registrada para os Estados do CE, BA, MT, GO, DF, MG e SP; desenvolve-se em ambientes de Caatinga e Cerrado. Possui uma grande extensão de ocorrência. Apesar de a espécie ocorrer em áreas de grande interferência antrópica, muitos desses espaços são de áreas protegidas. Desta forma, é uma espécie com menor preocupação no que se refere a ameaças de extinção. Porém, maiores estudos populacionais e de exploração poderão futuramente levá-la a uma nova avaliação".

Ecologia: "erva terrestre com pseudobulbos quase sempre enterrados. Este hábito parece ser uma adaptação aos incêndios anuais que ocorrem no seu habitat, durante a estação seca. A espécie floresce nos meses de setembro e outubro[1]".

Observação endógena: esta orquídea singular e de rara beleza, foi adquirida ano passado, de um orquidófilo de Sergipe. Iniciou esta florada desde fins de 2018 a início de 2019. O que chama a atenção é, sem dúvida, o fato de ser terrestre e ter os pseudobulbos parcialmente subterrâneos; outra característica interessante é o formato e tamanho das suas flores, além dessa incrível complexidade de cores e tons nas pétalas e sépalas, com o labelo predominantemente amarelado.

[i] CNCFlora. Cyrtopodium blanchetii in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. Disponível em: htt://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Cyrtopodiumblanchetii. Acesso em 12 março 2019. Acesso em mar. de 2019.

terça-feira, 5 de março de 2019

Lophiaris pumila - flores 2019

Mesmo já se tratando de uma bonita touceira, este ano ela se deu ao trabalho de produzir flores em apenas 1 pseudobulbo, logo, apenas este pequeno ramalhete.

Trata-se de uma pequena espécie epífita com pseudobulbos miúdos, ovais e relativamente achatados. As folhas são ovaladas, pontudas e grossas, geralmente de cor verde escuras. A inflorescência é basal (por que sai da base dos pseudobulbos), portando flores perfumadas e amarelas, com minúsculas máculas marrons.

Sinônimos mais usuais:
Epidendrum ligulatum;
Lophiarella pumila; 
Oncidium minutiflorum;
Oncidium pumilum;
Trichocentrum pumilum.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos e Seguidores